VINGANÇA


Parece mel quando a planejamos
Mas se torna fel quando a praticamos
Todos nós nos justificamos
Orgulho ferido,
Amor traído,
Tentamos nos libertar de um incômodo
E nos agrilhoamos a diversos deles
A vingança gera matança,
De nós mesmos
Dos sonhos, dos planos
Nos vincula, nos amarra
Àquele a quem mais repudiamos

 
E que um dia teremos que aprender
A gostar e respeitar
Não nos atrasemos
Não nos matemos
Não nos maltratemos
Deixemos pra lá
Esqueçamos a ofensa
Não guardemos a mágoa
Libertemo-nos
Doemo-nos
Tornemo-nos livres de nossos maus anseios
Para não chorarmos
Por termos negado
E fechado
Várias portas
Diante de nós.
                                                                     Autor desconhecido