Confusão

 Confuso.
Confuso como não queria estar.
Confuso como não poderia estar.
Tanta coisa pra fazer...
Tanta aula pra assistir...
Tantos trabalhos pra entregar...
Tantas horas de sono pra cobrar...
E ainda a confusão vem me atormentar.

Uma pessoa surgiu. Iluminou meu caminho. Fez-me brilhar os olhos novamente, sentir-me como o antigo anjo que um dia fui... Deu-me esperança... Fez-me acreditar que minha graça estava apenas latente, não perdida. Tomou-me pela mão... e eu me senti forte novamente. Senti que ainda existia amor sem segundas intenções no mundo. Me senti como se não fosse o único sonhador, como se eu estivesse certo em minhas escolhas e crenças! Me senti vivo!

Com minhas novas asas de glória, alcei vôo e comecei a atingir novos horizontes... sonhei novamente e vi que poderia ir além! Além do que me restringia... voei por cima das barreiras e limitações que eu mesmo havia me imposto...

Mas em meio às visões e sonhos que esse novo anjo me permitia, eu percebi padrões... e eu me lembrei. Me lembrei e comparei. Comparei e me senti confuso.

Meus pesadelos estão ao meu redor... eles ainda me assombram... e eu queria ter o poder de transformá-los novamente nos mais belos sonhos que já foram. Gostaria, ao menos, de poder esquecer que, um dia, sonhos foram! Dói... dói lembrar... dói saber que será igual... dói. Muito.

Não sei se vale a pena. Não quero fazer ninguém triste... não quero que me façam mal... não quero mais rancor e ódio!!! Não quero!!! Não quero! Não quero...

Quero minha graça de volta... Será pedir demais? Será sonhar alto demais?

Hey! Você! É, você mesma!!! Devolva os pedaços do meu coração!!! Devolva!!! Eu preciso tanto! Tanto...
Por que você fez o que fez com ele? Eu uni ele ao seu com tanto carinho... olha só o que você fez pra separar de novo... me ajuda a concertar, vai? Por favor... Não!! Louca!!! Isso vai piorar tudo!!! Não!! Pare!!! Pare!!!!!! Por favor... pare... pa... re...

Queria tratar as feridas... cuidar... concertar... Queria meu coração inteiro novamente!

Que egoísmo é esse???

Acordo do terrível pesadelo que fora, um dia, meu melhor sonho. Será que eu vivi mesmo aquilo? Ainda hoje ficam as dúvidas...

Pés no chão... levanto-me... recolho minhas asas... e volto a andar com pés no chão. Preciso tomar cuidado com meus vôos...

Hey, anjo de luz, vem conversar comigo aqui embaixo, vem?
Aí em cima meu coração fala alto demais... e eu ainda estou meio de mal com ele.

Será que vale a pena eu subir e sonhar com você? Será que não vamos cair depois? Será que você não vai me deixar sonhando sozinho? Será que dessa vez não serei eu o culpado pela sua queda?

Não quero me iludir... não quero te iludir...

Quero amar. Será pedir demais?

Será? 

Autor desconhecido